terça-feira, 13 de outubro de 2009

#11 Reflexões de Ano Novo

Que tipo de pessoa seria eu se não fizesse um post sobre meu próprio aniversário?
Pois é, hoje acordei mais velha.
Dezenove aninhos, quem diria? Ano Novo pra mim.
Novos sonhos, novas expectativas, novas idéias, novos sentimentos, novos jeitos de pensar e agir.
Claro, é o que eu espero. Talvez eu não mude e continue a mesma jovem adulta agindo como se tivesse dez, doze anos. Talvez eu continue assim imprudente, pisando em nuvens, distante da realidade.
Talvez eu continue com os olhos secos, sem borrar a maquiagem por ninguém, por mais que eu deseje o contrário vez ou outra.
Talvez eu continue morena. Talvez eu continue desocupada. Talvez eu continue despreocupada. Talvez eu continue escrevendo.
Talvez eu me apaixone, por que não?
Talvez eu seja feliz, talvez eu sofra. Talvez eu pare de machucar todos com os quais eu me relaciono mais profundamente. Talvez eu descubra por que isso acontece.
Talvez eu vá visitar meu irmão amado. Talvez eu descubra algum talento meu.
Talvez eu consiga um emprego.
Talvez eu consiga concluir meu livro, veja só! Talvez eu conclua alguma coisa que eu comecei...
Talvez eu viva muito. Talvez eu não esteja viva pra completar vinte anos.
Tudo o que nos cerca são incertezas, e essa é a melhor parte da vida: não saber o que pode acontecer nos próximos cinco minutos.
A única certeza que se tem é que tudo chega ao fim um dia.
A minha única certeza hoje é que eu não vou esperar pra viver o amanhã quando hoje está um dia lindo.
.
Feliz aniversário, Kura!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

#10 Perfeito para ignorar.

Quero um beijo, um abraço,
dos cigarros quero um maço,
quero fugir de mim.

Quero um escape, uma saída,
um fim de tarde na avenida,
quero ouvir teu sim.

Quero um verso, uma carta,
uma frase estruturada
sem começo, meio ou fim.

Quero que digas, bem sincero,
"se tu fores eu te espero",
qu'eu não quero perder-te assim.

domingo, 11 de outubro de 2009

#9 Alguém sugere título?

Caso queira, pode sugerir um assunto para escrever.
Simplesmente fico pensando na clássica frase "tédio com um T bem grande pra você", de uma música da (inesquecível) banda Legião Urbana. E, falando em Lehgião Urbana, lembro que existem muitas, muitas músicas que realmente mexem comigo.
Ultimamente, a única música que me fez refletir, sonhar e chorar foi a "Love in the Afternoon". Não por pensar que "os bons morrem jovens", que "me apaixono todo dia e é sempre pela pessoa errada", mas por pensar que "você foi embora cedo demais".
A nostalgia, o sentimento reprimido, a amargura.
A dor, a culpa, o desejo.
O abraço apertado. A fé.
Sinto que é estranho escrever sobre sentimentos direto do computador 33 de uma lan house.
Penso que é estranho pensar em tudo isso mesmo cercada de amigos.
Penso que, se não fossem eles, ewu seria uma pessoa extremamente amargurada.
Penso, logo valorizo as coisas simples que me cercam.
Penso, e é sempre na pessoa errada.
.
Acabou o café.