sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

#19 Atípico e incompleto.



A pior parte do dia ainda é deitar na cama, esticar o braço e não te sentir ao meu lado.




Ontem à noite, a noite estava fria.
E o mais frio naquela noite era o lado da cama que não era o meu.
Aquela solidão vampírica que surge quando o sol se põe, suga as forças e nos adormece numa ausência completa de sentidos, num sono sem sonhos.
E até dormir perdeu o sentido.
O melhor sonho ainda é aquele que tenho olhando pela janela do ônibus, sentada num banco da praça, tomando um café na rodoviária. O melhor é aquele sonho que não precisa dos olhos fechados, aquele que não é extraordinariamente insano e divertido. É aquele sonho verossímil, belo e simples, totalmente alcançável.
Nesse sonho eu te vejo, eu te abraço, te sinto. Sorrio com o teu sorriso.
É um devaneio que me pega descuidada.
É uma esperança que guardo, com carinho, no botão de uma rosa que espera o dia de desabrochar.
.


É pequeno, mas é de coração.








terça-feira, 26 de janeiro de 2010

#18 E eu vejo flores em você.

Eu, que não fumo, queria um cigarro.
Eu que não amo você.
(Engenheiros do Hawaii)







Trova curta

Ouviste o trovão rugindo lá fora?
Temei, pois o clarão que o precede
Há de vir a curar a sede
Do sertão onde tu mora.

Vem, te aconchega junto a mim
Que se o vento apaga a luz da vela
Eu, apaixonada pela face tão bela
Zelarei toda noite por ti, serafim.
É a sina que em meu peito trago,
Cicatrizes com teu nome nesse estrago,
É a lágrima que derramo escondida.

Se me prometi uma vida sem dores
Hei de morrer solita e sem amores,
Sem ter vivido sequer um dia de vida.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

#17 Perdoa?

Perdoa cada vez que eu fui grosseira por simplesmente acordar às avessas.
Perdoa se te derrubei café quente, foi sem querer, tive uma crise de riso.
Desculpa pelas crises de riso, também. Eu realmente fico nervosa quando tu estás por perto!
Desculpa por todas as vezes que te fiz esperar pra que eu terminasse um cigarro. Desculpa por simplesmente te fazer esperar!
Perdoa meu jeito desajeitado, minhas piadas sem graça, meu silêncio.
Desculpa se eu sou meio estranha. E desculpa mais ainda se esse meu jeito estranho te deixa com vergonha!
Desculpa por não conseguir te dizer tudo que eu queria, perdoa esse meu medo.
Desculpa por sentir isso que sinto por ti. Sei que não é algo que você gostaria que acontecesse.
Eu sei, isso não deveria doer tanto. Dizem que é bom, mas na verdade não é. Só acho que gosto de ti mais do que gosto de um simples amigo.
Não, deixa pra lá, eu não espero que algum dia isso seja correspondido.
Só queria que passase logo, tá doendo aqui. Tá machucando.
A culpa não é tua. É minha, mesmo.
.
Ah, quer saber? Deixa pra lá.
Conheço um café muito bom, me acompanha?

domingo, 3 de janeiro de 2010

#2010 novas chances para o mais do mesmo.

Eu sinceramente odeio esse negócio de 'ano novo'. Acho um porre, de fato. Eu não gosto de ficar desejando um 'feliz ano novo', eu detesto essas contagens regressivas, não entendo quem pula sete ondinhas, veste branco, faz oferenda e joga fogos de artifício. E tenho meus motivos.
Não vejo sentido em comemorar um novo ano se tudo o que vai acontecer vai seguir a mesma linha de acontecimentos do ano anterior. Eu, por exemplo, vou continuar acordando de mau humor, tomando café forte, indo pra faculdade, fazendo minha música e escrevendo para ninguém ler. O ano mudou de número, mas a vida continua a mesma e, caso aconteça algo novo, interessante, bom ou ruim, não vai ser decorrente da comemoração, da roupa que eu usei, dos quindins que eu dei pro santo ou das ondas que pulei. Se eu ganhar na Mega Sena acumulada vai ser porque eu sou uma grande cretina sortuda. Se eu perder um braço é porque eu não deveria ter saido da cama (ou deveria, se foi em desmoronamento). Pular onda não torna ninguém imortal.
E cá estou eu, em mais um ano, os mesmos velhos hábitos e o coração batendo mais forte pela mesma pessoa da década passada.
Eu comemoraria o ano novo se realmente houvesse renovação.
__________________________________

Versinho

Quero no céu das minhas noites o ébano dos teus cabelos
E quero que as estrelas brilhem como teu olhar.
Um cometa carmim como teus lábios tão belos
E um sonho contigo para jamais acordar.

;)