sexta-feira, 2 de abril de 2010

#25 Monocromático.



Eu não quero motivos
nem nada racional.
Me resolvo bem se tiver vontade.
E possibilidade para tal
.




O gosto amargo já não me completa
Muito menos a textura da bebida quente.
Aquele cheiro já não é atraente
A cafeína em nada mais me afeta.

Os cigarros, tão fiéis, apagados.
A fumaça já há muito me incomoda,
O cinza da cinza quente me tocou... e nada!
A dor não veio, só ficou a marca.

Perdi a cor dos meus dias
E tenho certeza que deixei contigo
Procura nas memórias, lê as poesias.
Chovia, lembra? Era tarde de domingo.


5 comentários:

  1. Muito bonito! Já não é a primeira vez que me identifico com teus poemas :B

    ResponderExcluir
  2. Show de texto. Adorei. Suave e gostoso de ler.

    =)

    ResponderExcluir
  3. é interessante suave e bonito,mi identifiquei muito com esse poema pelo pouco que li aqui vc tem muito talento parabens [=

    ResponderExcluir
  4. Escreva mais!!! Sinto falta da tua poesia linda...

    ResponderExcluir