quarta-feira, 4 de maio de 2011

#41 Toda sorte de espetáculo


Eu achei que era transitório quando nem eu sabia direito o que queria.

E talvez seja, também, quem diria? Transitando por aí, do marasmo à maresia de um cais velho onde nenhum barco atraca mais. Transite também meu sentimento.

Às vezes dá vontade de gritar, mas esse meu medo, que começou num fio tênue, moldando um fino véu de seda ao redor do meu desejo, no início sutil, a terminar espesso e irrompível, calou minha boca.

Despi da voz, mas ainda sinto. E sinto muito.

E tanto sinto que ainda sinto aquela descompassada no peito quando te vejo sorrindo.

Me faz bem, e tanta falta.

E o medo, onde fica? Fica no medo que teus olhos se fechem pra mim.

Os meus estarão aqui pra ti.

Não é insuficiência, só quero me afogar no teu cabelo.


[Dessa vez a foto do post fui eu que tirei, por isso tá uma merda.]

2 comentários:

  1. bacana o post, gostei. e afoto ficou muito tri, um coraçãozinho perdido ali, em cima de um Joker. Matou a pau!

    ResponderExcluir
  2. as aliterações do segundo paragrafo (r, s, z, t, d, m, n) são perfeitas.. a ideia de "trânsito" enfatizada pelas fricativas, principalmente.
    sei lá, foi isso que eu vi. se pah tou viajando.

    bah, não, Kura, nem vem, que essa é a foto mais genial do blog, até agora! -s
    tipo, porque é um baralho específico pra mágica, a imagem se abre pra leituras bem interessantes. o ilusionismo como que representando a decepção amorosa, tipo assim.
    o coração e o joker juntos, carregados de significado.
    olha eu, saturada de analisar poema, analisando foto também, agora -qq

    muito bom, Kura, como sempre ^^b

    ResponderExcluir